quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Sobre outra coisa

Eu sou intérprete de Libras.   Gosto de ser apesar dos problemas próprios da profissão(qualquer profissão tem os seus.).

Estou lendo um livro: Surdez e linguagem, da Ana Paula Santana, Editora Plexus. É muito interessante.

Depois que eu comecei a trabalhar com surdos comecei a ter um pouco mais de sensibilidade e minha percepção visual melhorou.  Fico impressionada como as pessoas são ignorantes em relação a questão da surdez, acham que o idioma é mímica ou apenas gestos. O que não é, mas faz parte. Bom, na realidade com o corpo podemos nos expressar bem mais que apenas com a voz.  Ontem li um trecho que achei interessante. Vou transcrever aqui:

"(...) O autor(Lane,1992) ressalta ainda que algumas das peças de teatro chamam atenção para atividades ridículas dos ouvintes como conversas intermináveis pelo telefone, o pânico de serem tocadas, a falta de percepção visual, a falta de expressão nos rostos, nos quais apenas os maxilares se articulam, rostos que pela sua insensibilidade negam o que as palavras mencionam."

Concordei com isso. Acho que precisamos aprender a nos expressar através dos olhos, expressões, através do movimento do corpo, e não estou falando de comunicação com surdos.  É preciso enriquecer a nossa.  Olhar nos olhos ao falar.  Mostrar não só o que se quer dizer, mas o que se sente a respeito do assunto
Enriquecer a vida estando atento aos nossos sentidos todos, nós os que os possuímos em plenitude, aprendendo daqueles que perderam um ou mais sentidos.

E para vocês poderem ouvir com os olhos, deixo aqui uma música traduzida para Libras.
Os créditos estão no final do vídeo.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Já prestou atenção na letra?

Prestem atenção na letra... (sem desconsiderar certos detalhes do clipe,claro):


quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Falta-me vergonha na cara...

É... tá faltando vergonha na cara pra por logo em prática algumas mudanças do dia a dia. E eu tava doida doida doida pra chegar aqui e dizer que tô me exercitando e comendo direitinho... mas eu tenho vergonha na cara suficiente pra não considerar dois dias uma rotina... Se eu passar de uma semana me comportando direitinho começo a postar os resultados.
Tenho fibromialgia e me exercitar não é tão fácil no início, mas sei muito bem que é vital pra uma vida mais produtiva e diminuição dos sintomas da doença.  Então... lá vamos nós!

Comecei a fazer caminhada, 30 min.  E na alimentação eu tô mudando aos poucos(não resisto quando tem um chocolate na minha frente!!) Mas evitando frituras e refrigerantes.Vamos ver como fica.


Motivos para caminhar:

1) NÃO EXIGE EQUIPAMENTO: Um par de tênis, short, camiseta e só!

2) EMAGRECE: É preciso caminhar com ritmo e manter uma regularidade mínima de 3 vezes por semana + reeducação alimentar.

3) AUMENTA O FÔLEGO: Quando você mexe o corpo, todo organismo responde e se adapta para suprir as necessidades do esforço = ganho de condição física.

4) PREVINE VÁRIAS DOENÇAS: Pesquisas mostram que quem caminha 30 minutos todos os dias reduz as chances de doenças cardíacas, osteoporose, pressão arterial, acidente vascular cerebral e previne eficazmente a depressão.

5) MODELA AS PERNAS: A musculatura das pernas é bem solicitada durante a caminhada e o resultado? Coxas firmes e panturrilhas trabalhadas.

6) EVITA RUGAS: Na caminhada há um aumento de antioxidantes, retardando o aparecimento de rugas. Lembre-se de sempre usar filtro solar, ok?!

7) MELHORA A QUALIDADE DO SONO: Quem faz caminhada regularmente com intensidade média, pega no sono mais facilmente e acorda menos à noite.

8) GARANTE DISPOSIÇÃO: Atividade física garante a produção de endorfinas e serotoninas, gerando bem estar e mantendo a disposição pra tudo!

9) EXERCITA A CABEÇA: A prática de exercícios físicos melhora muito a capacidade mental, uma vez que aumenta a oxigenação do cérebro.

10) AMPLIA O CÍRCULO DE AMIZADES: Tem gente que adora caminhar só. Mas a caminhada além dessa independência lhe dá a oportunidade de conhecer muitas pessoas e formar um grupo.

Fonte:   http://www.planetaemagrecimento.com/2008/09/10-motivos-para-comear-caminhar-j.html


terça-feira, 4 de dezembro de 2012

A "polêmica" do pica-pau



Final de semana. Nada pra fazer. Ligo a TV e me deparo com a notícia sobre a "polêmica" do pica-pau.

Primeiro gostaria de saber que grande polêmica foi essa, já que eu não saberia de nada não fosse a tal reportagem em rede nacional.

O interessante é que ficou aí a questão da qualidade do desenho X a qualidade do TV Xuxa.
Ai, meu Pai do céu!!! A TV me deixou burra, muito burra demais.

Alguns psicólogos falaram sobre o desenho positivamente.(???????????)
 Independente de qualquer coisa, não há quem  possa julgar por retardado quem assiste.  Porém o que me assusta é que a frase veio do diretor do TV Xuxa. Alguém me explica a superioridade de um sobre o outro por favor que eu ainda não entendi.

E alguém me explica também o motivo de colocarem na reportagem a definição de retardado e idiota, segundo o dicionário. Aí ofendeu a minha inteligência. Peraí, peraí, que até os "baixinhos" sabem o que isso significa.

Definitivamente, desisto da TV!!!

domingo, 2 de setembro de 2012

Como estrelas na terra

A quanto tempo não escrevo.
Por vezes a vida cansa e nos falta um desejo vital de simplesmente viver... mas um filme me emocionou, e me fez ter vontade de ser mais, e fazer mais para alguém.

"Como estrelas na terra", é um filme indiano. E os filmes indianos estão me impressionando ultimamente, ainda voltarei para falar de um outro, "Black".

O filme retrata a vida de um menino que tem dislexia. E mostra como é incompreendido por todos, até que um professor "maluco" de artes o nota... e devolve a felicidade e o brilho e as cores pra vida do menino.

Assistam, é muuito bom.

Está no YouTube: http://www.youtube.com/watch?v=fiftCor2cXM

Todos que trabalham com educação deveriam assistir.
Que possamos reconhecer essas estrelas quando nos depararmos com elas.

terça-feira, 26 de junho de 2012

Sempre quis ter uma vida saudável... mas me falta força de vontade ou qualquer outra coisa que não sei o nome. Eu planejo como começar, o que fazer, penso e penso.
 Acho que isso serve pra qualquer coisa: quando planejamos demais, fazemos de menos, e de tanto programar, acabamos nem vivendo.

segunda-feira, 26 de março de 2012

A escola liberta ou aprisiona?

"Ainda me lembro aos três anos de idade
O meu primeiro contato com as grades
O meu primeiro dia na escola
Como eu senti vontade de ir embora
Fazia tudo que eles quisessem
Acreditava em tudo que eles me dissessem
Me pediram pra ter paciência
Falhei
Gritaram: - Cresça e apareça!
Cresci e apareci e não vi nada
Aprendi o que era certo com a pessoa errada
Assistia o jornal da TV
E aprendi a roubar pra vencer
Nada era como eu imaginava
Nem as pessoas que eu tanto amava..."
O Reggae, Legião Urbana

Hoje as escolas continuam a reproduzir os mesmos velhos métodos que em nada colabora para a mudança social. Os mesmos velhos moldes.
A três anos atrás trabalhei ao lado de uma professora, e a reencontrei estes dias, notei que em suas mãos havia o mesmo livro que ela utilizava a três anos atrás, que era também o mesmo livro que minha irmã mais velha utilizou na escola a décadas atrás. Não havia planejamento algum. Só as mesmas velhas atividades repetitivas, transformando os alunos em máquinas programadas. Da boca desta mesma professora ouvi que ela ensinou sua filha a nunca questionar um professor(a filha dela percebeu um erro da professora), ela disse que se a professora ensinasse do jeito errado, ela deveria apenas perguntar: "É deste jeito que quer na prova?" e obedecer.

A educação deveria libertar, não dominar! Ser agente de mudança, incentivar a pesquisa, a busca pelo conhecimento, pela construção do nosso próprio conhecimento, a busca pela verdade, não pelo senso comum.

Como me entristece ver certos tipos de atitude em um lugar que tinha tudo pra dar certo: a escola.

Infelizmente os números, a quantidade são muito mais valorizados que a qualidade. Os projetos são mentiras e só existem no papel.
Que bom que nem sempre é assim, que bom que temos alguns que lutam ainda por uma educação de qualidade apesar de salários baixos, desvalorização, pressão para maquiar resultados... ainda assim há quem lute. Espero que estes nunca se cansem da luta pela verdade e qualidade, enquanto estes ainda existirem ainda há uma chance.

Ainda há uma chance...

quinta-feira, 15 de março de 2012

Querida vizinhança!

Como são seus vizinhos? Toda vizinhança tem aqueles vizinhos que fazem questão que você conheça a música que eles gostam. E colocam no último volume quando você tenta ter paz, estudar, pensar, não deixando que você ouça seus próprios pensamentos.

Durante grande parte da minha vida tive apenas uma vizinha nos fundos. Super tranquila. De um lado uma pequena fábrica e do outro um terreno vazio. Que saudade deste terreno, os ratos e as cobras eram melhores, tenho certeza.

Bom, amigos, aprendi que é muito importante tentar manter a paz. Às vezes precisamos fingir que não entendemos certas idiotices, que não ouvimos maluquices, e não ficamos sabendo de fofocas mentirosas sobre nós.

É, é muito bonito... vizinho é aquele que tá sempre "do seu lado" para tirar a sua paz!

Boa noite, vizinhos!

quinta-feira, 26 de janeiro de 2012

Nem sempre se aceita tudo que surge na vida...

Bom, muitos dizem que é preciso aceitar a vida como ela é. Que é preciso aceitar as condições desfavoráveis e a dor. Não! Eu não aceito! Mas não vou morrer por conta disso. Também não vou viver a reclamar.
Já faz tempo eu aprendi que é preciso ser feliz "apesar de". Mas poucos sabem como de fato fazer isso. Amo quem descobriu a verdadeira felicidade. A felicidade da esperança, do amor as coisas mais simples. Do amor a vida.
A vida me dói... fisicamente a vida me dói. Mas não é por isso que quero deixar de viver, de amar, de cantar e dançar. Apesar de ficar impossibilitada de fazer isso às vezes.

Mas há coisas que me dá vontade de largar... a faculdade é uma delas.
Cheguei a conclusão que estudar não te dá a capacidade de pensar. Ajuda a desenvolver o raciocínio, mas pensar depende de você. Às vezes leio textos ridículos dos livros da faculdade. Muitas vezes livros inteiros que só possuem um único significado repetido diversas vezes de maneiras diferentes. A faculdade me ensina sobre "o que" mas não me ensina sobre "como". Às vezes me pergunto se saberei o que fazer com meu diploma de maneira a não ser mais um medíocre nas escolas. Pedagogia não é brincadeira e eu esperava muito mais. Tá aí mais uma coisa que eu não aceito: a superficialidade com que se tratam as vidas das pessoas. Eu estudo PEDAGOGIA. Eu tenho respeito a isso. Mas não sei bem como meus colegas entendem o que estudam... pior, não sei como serão no futuro, ou eu mesma como serei. Mas estou certa que jamais deixarei de buscar o melhor.
A teoria existe por um motivo, não podemos ignorá-la. Mas talvez se a faculdade ensinasse um pouco mais sobre métodos nós pudéssemos entender melhor como toda a teoria que estudamos pode ser prática. Ou talvez nós, como futuros educadores devessemos ter mais criatividade para saber fazer.
Os professores estão perdidos. Eles não acreditam na capacidade dos alunos e isso me dói. Alunos com problema são rejeitados descaradamente. Isso por vezes me cansa.
"Eu vejo na TV o que eles falam sobre o jovem não é sério
O jovem no Brasil nunca é levado a sério"

Muitos na faculdade estão animados, é verdade. Querem mudar a realidade de seus alunos. Mas há tantos fatores envolvidos. Eu vejo os professores na escola onde trabalho e me pergunto quantos deles tinham o ânimo que temos na faculdade, quantos deles perderam todo o entusiasmo, e até mesmo toda esperança.
Como e quando isso vai mudar? Eu não sei. Em um dos meus materiais da faculdade foi criticado estes filmes que retratam um professor que ajuda sua turma. Muitos baseados em histórias reais. Disse que não vale se eles só mudam seus alunos e não o sistema. Eu discordo. Toda vida vale. Se eu puder ajudar um aluno estarei feliz, porque talvez ele possa fazer isso por outra pessoa... e talvez uma pequena chama se acenda e ilumine alguns lugares... talvez possa crescer. Pequenas atitudes, coisas ao nosso alcance são o ideal. Só não podemos ficar parados esperando a vida acabar. O tempo passar.

A vida vale muito. Todas as vidas valem muito. Fazer pouco é melhor que fazer nada.

E eu sei que comecei o texto falando de uma coisa, e fui pra outra e outra... mas esse blog sem leitor é pra isso mesmo... meus pensamentos desordenados.